sábado, 2 de julho de 2016

16 years later

Dezasseis anos depois. A dor. Voltou.
Quem me conhece sabe que tenho a maior resistência a tudo o que seja mexerem-me nas costas, ir à fisioterapia ou ao osteopata. Quem me conhece também sabe que não tenho costas e ombros, tenho uma espécie de tábua, que me dificulta uma série de movimentos no dia-a-dia e que me provoca dores constantes.
Sei bem qual é o problema, a sua origem e a sua solução. Mas a minha resistência em resolver o problema sempre foi tal, que nunca ninguém me convenceu. Durante anos ouvi, variadíssimas vezes, que no dia em que isto começasse efetivamente a dar problemas, sem retorno, eu iria procurar ajuda. Adiei o mais possível a decisão, até ao dia em que... a dor, a verdadeira dor, apareceu (e veio para ficar).
Dezesseis anos depois. Comecei. A resolver o problema das minhas costas.
Só tenho uma coisa a dizer: que leveza!!!




Sem comentários:

Enviar um comentário