quinta-feira, 13 de julho de 2017

Deitar cá para fora...

Lá fora o ar abafado impede os mais corajosos de realizar a sua corrida diária, mesmo a estas horas da noite. Respirar torna-se desconfortável, e o cansaço acumulado não ajuda.
Podíamos ficar por aqui, sentados, a lamentar-nos do cansaço, do calor, da vida.
Mas também podemos sentir-nos agradecidos e acarinhados. Agradecidos por podermos experienciar o calor, o cansaço e tantas outras coisas. Acarinhados por termos com quem partilhar este calor e este cansaço.
E é assim que me sinto, após mais um ano, com calor e cansada. Mas satisfeita e agradecida. Feliz por olhar para o lado e perceber que não estou sozinha a fazer esta caminhada, sob este calor. Feliz por saber que se cair, vários me vão ajudar a levantar.
Estranhamente tranquila por olhar para trás e perceber que o que previ aconteceu. As pessoas seguiram efetivamente com a sua vida. Reconstruíram significados, criaram novas memórias, e agarraram novas oportunidades. E não, não me sinto desiludida por isso. Sinto-me confortável. Afinal, era o melhor para todos. Consigo estar em paz quando vejo o meu projeto, o menino dos meus olhos, ser agarrado por outra pessoa. Podia revoltar-me e achar que estavam a viver a minha vida. Mas isso é impossível. Sinto-me viva, encontrei o meu espaço e, jamais um projeto poderia definir-me enquanto pessoa. Fico contente que a minha ideia tenha sido assim tão boa que não lhe tenham resistido.
Lá fora o ar continua abafado, mas se não podemos correr ao ar livre, podemos ir ao ginásio, aproveitar o ar condicionado e dar a nossa corridinha descansados.
Se a vida te dá limões, faz uma limonada :)

Sem comentários:

Enviar um comentário